Chega de ingratidão!

Ultimamente passei por várias experiências desagradáveis de pura ingratidão. Trabalho em dois empregos, estudo no tempo restante, mantenho a casa em ordem (sim, eu sou o responsável por aqui) e, sempre que possível, quebro o máximo de galhos possível para amigos. Eis que no primeiro favor que peço, no primeiro escorregão, na primeira mancada ou descansada que eu dou, PIMBA, levo cara feia e aquele coça. Então vou facilitar a minha vida e ficar menos estressado, sobrando tempo para curtir. Continuarei sendo solícito, bonzinho, tão útil quanto uma pessoa que se conhece há alguns dias, mas chega de ficar me virando nos 30 para ajudar gente que no final esbraveja comigo. Portanto, aqui seguem conselhos para você, amigo vítima de ingratidão alheia, que quer virar o jogo e passar por cima desses seres pobres de espírito.

A primeira dica é não puxar assunto, NUNCA. Você deve SEMPRE ser educado, diga um oi, olá, bom dia, boa tarde, tudo bem e essas coisas de praxe. Você deve RARAMENTE fazer mini piadinhas que não possibilitam emendas com outras piadas ou comentários, do tipo “consegui terminar tal coisa”-no caso de um ambiente de trabalho-, ou “gosto desses dias de sol”, ou ainda “acho linda a avenida Paulista enfeitada!”. Esses comentários só possibilitam uma mini conversa que vai do nada a lugar algum. Agora,SEMPRE fique quietinho, na sua, de boa, e espere – vou repetir: ESPERE. Só para frisar: ESPERE – que as pessoas puxem assunto com você. Sim, elas vão puxar, afinal, elas não conseguem se virar sozinhas ou não querem passar por tudo o que você passou, pedindo ajuda com tradução ao invés de se dar ao trabalho de aprender a língua, por exemplo.

A segunda dica é quando chegarem para falar com você, seja bonzinho, solícito, e faça SOMENTE o que foi pedido e nada mais, isso ainda se o que for pedido for fácil de se fazer e não demande muito esforço, e nada de oferecer mais soluções! Se for algo trabalhoso, diga “infelizmente não dá, tenho tantas coisas para fazer, não conseguirei ajudar no momento!” e um sorrisinho simpático. Assim você não fica se enrolando resolvendo problemas alheios e não é realista (vocábulo que as pessoas hipócritas ou incompetentes conhecem como “chato”), dizendo o que elas deveriam fazer ao invés de ficar pedindo ajuda o tempo todo.

A terceira dica, que parece um pouco com a primeira, é não ficar tentando resolver problemas alheios, por menores que eles sejam. Estou repetindo esta dica porque se você já pensou em começar a seguir a primeira, vai perceber que as pessoas começarão a jogar indiretas do que seriam os outros problemas. Virão os “nossa, meu pc parou de funcionar!”ou “nossa, tem uma mensagem que aparece no programa mas é em inglês, como será que posso resolver?”. Nestes momentos é essencial se preservar e reprimir seu lado solícito e ajudante. NUNCA dê dicas do que fazer, pois as pessoas fingirão que tentaram fazer aquilo que você explicou e já emendarão um “o que será que eu fiz de errado?” ou, mais diretamente, “me ajuda?”. Portanto, memorize essas frases para usar nestes momentos de perigo: 1) Nossa! Por que será?; 2) Uia! Você devia levar isso para darem uma olhada hein! Tchau! (NÃO ESQUEÇA DO TCHAU NO FINAL E DE SAIR DA SALA EM SEGUIDA); 3) Ixi…; 4) Eita!! 5) Hummm… – E nada mais. Se detalharem mais o problema, use mais uma palavrinha desta lista, não é bom ficar repetindo a mesma sempre, eles vão sacar o esquema.

Uma última dica é para nunca, NUNCA virar e dizer para as pessoas o motivo da sua mudança ou o que a pessoa faz de errado, porque gente ingrata sempre acha que você devia ajudar mesmo, que tem que dar a mão e o braço mesmo, e que elas são as vítimas do mundo. Siga o velho conselho de não contrariar um louco. Se eles dizem que tudo está difícil, você deve concordar; se disserem que tudo conspira contra eles, ache isso uma grande injustiça, porém uma total realidade; e por aí vai. Você precisa entender, e eu sei que isso demora, que as pessoas precisam chegar ao fundo do poço para se tocarem das burradas que fazem. Não adianta ficar com dó e tentar evitar a chegada ao último nível do poço, essa é uma das etapas do aprendizado.

Seguindo essas dicas, você, companheiro bondoso, prendado e solícito, será aquela pessoa legal, simpática, que nunca está mal humorada e que, conforme gostam de dizer, nunca reclama de nada nem dá bronca em ninguém. Afinal, cuidando apenas dos seus problemas e não dos problemas dos outros você realmente estará mais tranquilo e poderá aproveitar os momentos bons com os amigos, porque os momentos ruins não são problema seu. Escolha seus melhores amigos e para o restante, um abraço. É necessário ter prioridades e pessoas prioritárias na vida.

Comments
2 Responses to “Chega de ingratidão!”
  1. Glauco disse:

    Será que consigo seguir as dicas? Eu sempre sou vítima da minha boa vontade. O que me parecia uma virtude parece mais um defeito.

  2. maria lucia garcia disse:

    vc esta certo.cada um deve resolver seus poblemas sem incomodar os outros.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Minha Vida Antes dos 30 em números

    • 25,917 acessos
%d blogueiros gostam disto: