Não existe flashback com quem nunca tivemos nada

Flashback é algo comum na vida de todo mundo. Algumas vezes chamado de “remember”, este fenômeno é algo instintivo, como assistir a um filme na sessão da tarde ou corujão e lembrar de tê-lo visto no cinema na época do lançamento, ou comer um Choquito e cantar baixinho: “leite condensado, caramelizado, com flocos crocantes e coberto com o delicioso chocolate Nestlé!”. Quem não lembra do Natal ao ver a foto de Macauley Culkin depois de seguidos anos de “esqueceram de mim” apresentados neste fatídico dia de dezembro?

Porém, quando não existiu nenhum acontecimento, não há como ter flashback. Eu não me lembro do Woodstock porque não estive lá, portanto não tenho nada que inventar que “parece que foi ontem” ao ver um documentário sobre isso. Portanto, acho estranho que pessoas com quem não namorei venham com a ideia imbecil de querer fazer “remembers” dos bons tempos. Mas que bons tempos?

Tudo começa com “meu namoro acabou” numa conversa de MSN. Nisso, eu já sei exatamente o que vai vir nas mensagens seguintes. Previsível? Talvez. Falta de um mínimo de massa cinzenta naquela estrutura oca chamada crânio? Com certeza. Não tentam e nem conseguiriam ser criativos para isso. Desde o “estou sofrendo muito com isso, muitas saudades dele(a)” – mentira -, evoluimos para um “nossa, como estou carente” (onde é que estavam as saudades mesmo?) e finalmente chegamos a um “posso ir aí dormir com você para fazermos um flashback?”. Vou ligar para a Globo e pedir para reprisarem o “De volta para o futuro” para que estes seres ignorantes entendam que precisam daquele carro específico para desencadear esse fenômeno de modificar o tempo, e não basta simplesmente tentar me convencerem disso.

O que os sofredores de carência crônica se esquecem é da memória dos ex-ficantes. É comum que, ao arranjar namorado, pessoas sem noção venham puxar conversa com antigos pretendentes dizendo “nossa, como estou feliz” e “ele(a) sim beija bem, é carinhoso(a)”, etc. Inclusive com detalhes que você não faz a menor questão de saber. Mas quando o namoro com o macho alfa (ou fêmea alfa, depende de quem estiver lendo) acaba, tudo muda. Você vira o melhor! Você foi ótimo, com você foi incrível, você faz como ninguem, enfim, tantos elogios que não dá pra entender como não ligaram para oferecer o Nobel do Sexo.

Estes são momentos que exigem pouca economia de adjetivos e verdades. Fale mesmo, solte o verbo, deixe tudo muito bem esclarecido. Resumindo, humilhe. Não é legal compararem pessoas e dar vantagem ao outro porque ele teve a coragem de se comprometer a ver essa coisa toda semana, pagar jantares e ouvir historinhas de como o ex-ficante não quis dar continuidade aos encontros. Até hoje tento entender de onde as pessoas tiram essa fábula de “reviver nossos momentos” se eles foram tão poucos, cheios de cobranças de “me assuma! Me peça em namoro logo!” e pra terminar de arregaçar, ainda sai com outro e vem dizer que foi melhor. É pedir para que nunca mais eu olhe na cara, nem quando o namoro termina, porque as únicas pessoas que catam RESTOS por aí, jogam num carrinho e levam para reciclagem.

Portanto, sempre realizo o desejo de quem me pede para reviver os bons momentos. Para mim, os melhores momentos, inesquecíveis mesmo, são quando voltam com o rabo entre as pernas e eu posso falar um monte. Não existe “flashback” do que nunca aconteceu, e o que nunca deveria ter acontecido é eu ter encontrado esse tipo de pessoa no meu caminho. Como já concluiu uma vez Carlos Drummond de Andrade, “tinha uma PEDRA no meio do caminho”.

Somente eles sabem como fazer um "flashback" de algo que não aconteceu

Somente eles sabem como fazer um "flashback" de algo que não aconteceu

Comments
3 Responses to “Não existe flashback com quem nunca tivemos nada”
  1. Larissa Lübe disse:

    Quanto a nós, quero flashback.

  2. Wendell disse:

    Por incrível que pareça, hoje acordei com o seguinte pensamento: “Nossa despedida é o cara$#@!!”.
    Conseguiu por em palavras o que venho pensando a um tempo! rs.
    Ótimo seu blog!

  3. NINH@ disse:

    ESTA HISTORIA PARECE COM A MINHA NE?????? AI AI
    BJUS AMOR

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Minha Vida Antes dos 30 em números

    • 25,917 acessos
%d blogueiros gostam disto: