Separações de internet

A internet é um meio revolucionário, tudo acontece em tempo real, e só em 2009, foi produzido mais conteúdo que os publicados ou conhecidos desde antes de Cristo até 2008. Como é um veículo extremamente versátil, com textos, fotos, vídeos, vozes, programações e outras coisas, é óbvio que os usuários, mais cedo ou mais tarde, iriam usar o recurso para encontros virtuais. As vantagens são claras, você tem muita opção, pode conversar para ver se rola algo a mais, ou ignorar e ir embora sem ter que mentir, tipo dizer que vai ao banheiro, entrar pela porta do sanitário e escapar pela janela, apenas bloqueia o contato e vai procurar outro.

Tão rápido quanto a sua conexão banda larga é a velocidade dos escritores, blogueiros e jornalistas começarem a verificar os esquemas desses relacionamentos, dizerem o que dá certo ou errado, principalmente dicas de como proceder, garantir a segurança da informação, causar uma boa impressão nos blind dates online. Até aí, tudo muito clichê, mas o que ninguém fala é sobre como terminar um desses cyber rolos, por isso vamos dar aqui alguns exemplos de maneiras de se dizer (ou ouvir) adeus do cyber relacionamento. Vamos acompanhar alguns exemplos:

1) Método “net banking”

O mais comum e mais divertido. Chamo de método net banking porque tudo se desenvolve como uma transação online como um pagamento de contas via internet. Acompanhem o raciocínio neste exemplo de conversa mesclado com interface de banco:

Usuário: “Precisamos conversar”

Senha: “É que está sendo diferente do que eu imaginava” (pode também ser “está indo muito além do que eu esperava” ou “indo muito rápido”)

Código de segurança online: “Não fique assim… podemos ser amigos, ainda gosto muito de você!”

A “transação bancária” ocorre durante as frases corriqueiras de sempre, como “o que deu errado?” ou “me diz o que você quer que eu mudo!!”, chegando ao “mas não podemos tentar de novo?”. Essa última, sinceramente, é a que menos funciona, principalmente porque algo que já rolou um tempo e não deu certo, um já tem birra do outro, discordâncias, reclamações… não é como reiniciar o computador, que faz com que tudo desapareça e fica aquela sensação de que você está ligando o pc pela primeira vez agora. Geralmente, tudo que é “recomeçado” fica estranho. Vide a cara e visual dos molequinhos da banda “Restart”. Fora de série.

O recibo da transação vem em forma de e-mail ou depoimento em redes sociais com longos textos tanto de memórias dos longos X dias de relacionamento ou mesmo palavras de baixo calão, terminados com célebres “você nunca gostou de mim” e congêneres, seguido de um “excluir e bloquear da lista de contatos”.

2) Método “Vida Dupla”

Outro de alta frequência. Só se percebe que esse foi o método adotado quando já se está a segundos do fim, mas existem pistas para saber se você será a próxima vítima (se não for o próximo sacana que está tendo uma vida dupla). Começa com uma certa queda de presença no MSN ou e-mails, depende de qual os pombinhos usavam para as conversas enamoradas. Depois pode haver tentativa de conversas estranhas, como “você acha que é possível uma pessoa gostar de duas pessoas ao mesmo tempo?” ou esse tipo de pergunta que leva você a pensar em triângulos amorosos e afins. A hora do vamos ver mesmo é quando o próximo ex-amorzinho começa a falar com muitas reticências e repetindo seu nome, ou te chamando de amor (quando esqueceu seu nome ou com medo de te chamar pelo do outro), e no início faz um suspense, como se fosse vai falar que alguém morreu:

Ser de vida dupla: “Fulano…… então…………”

Fulano: “fala!”

Ser de vida dupla: “É que queria te perguntar algo…….. ou melhor…… falar uma coisa………”

*Lá vem!!! Lá vemmmmm! Prestem atenção agora!*

Fulano: “fala logo, pelo amor do pai do céu!”

Ser de vida dupla: “é que… faz uns três dias…. que conheci alguém…”

* B I N G O. Três dias nada. Deve ter conhecido no mesmo site que encontrou você, isso se não foi no mesmo dia e, pra não ter que arriscar, ficou conversando com ambos para escolher com qual ia ficar. Se você está lendo esse tipo de mensagens, uni duni tê, o escolhido não foi você! *

Bom, a partir daí os resultados podem variar. Ou o Fulano diz que já imaginava, ou que não acredita no que está lendo… depende da inocência. Mas o final é bem parecido, o ser de vida dupla tenta apaziguar a questão, tenta convencer que não fez de propósito (para não achar – ou ter certeza – da sua falta total de caráter) e tenta ficar na amizade, para diminuir o peso na consciência.

No final, se você não aprova a escolha e anda a pessoa pastar, terá um tempo de mensagens pedindo perdão e blablabla, ou se permitir, ficará a promessa da eterna amizade e nunca mais você ouvirá falar daquele ser (a não ser que dê errado com o outro e volte a e procurar, pois você ficou com a medalha de prata). Cabe a você escolher como ficará no final, depende da sua paciência, vontade e auto-estima.

3) Método “Ficção que vira realidade”

A menos comum da nossa mini lista de 3 casos. Consiste em sair do virtual e ir atrás do ser amado na vida real (ou algo muito próximo a isso), seja por não aceitar o desfecho da história de amor, seja pelo enorme sentimento que ficou, ou loucura de gente stalker mesmo. O último caso que ouvi sobre isso foi um que, não contente com a notícia breve e com poucas explicações, decidiu ver para crer, pessoalmente, no motivo do fim, se foi o sentimento se exauriu ou se foi outro cidadão que veio. Todas as noites ia para a entrada do condomínio da vítima e ficava olhando para a casa da ex, que era a primeira da rua. Mesmo quando as aulas voltaram, matava algumas aulas para continuar a espiar. Acabou fazendo amizade com o vigia do condomínio e assim, frequentava a guarita para ter uma visão panorâmica da casa. Chegaram até a dividir pizzas na madrugada, enquanto contava a saga do ex amor para o vigia, já militante da causa, totalmente de acordo com a perseguição. A parte boa foi que essa fase passou, mas sempre tem aqueles que demoram para superar a rejeição. Resumindo, tenha cuidado SEMPRE, pois até as guaritas do seu condomínio têm ouvidos.

Essa é a parte que todos os escritores esquecem de falar da vida amorosa online. Ela é realmente acessível e fácil, você encontra pessoas a qualquer momento, troca umas ideias, vê no perfil quais são as afinidades, mas e depois? O depois é como qualquer outro relacionamento, o final pode ser um simples “tchau” seguido de “bloquear e excluir”, mas o coração dos usuários ainda não está adaptado a simplesmente “deletar sentimentos” ou se formatar e esquecer toda a situação. O resto da estória é sempre igual, online ou off-line.

Comments
2 Responses to “Separações de internet”
  1. kemi disse:

    Adorei! AAAHHAHaHah Verdade mesmoooooooooooooo! Conheço uma pessoa que foi discrita acimaaaaaaaa!Adorei FER! Bjokas

  2. Jekyl disse:

    Hahahahaha em qual caso a pessoa se encaixa?? =Dsaudades do srto!!bjos!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Minha Vida Antes dos 30 em números

    • 25,917 acessos
%d blogueiros gostam disto: