A Grande Prova!! *post atrasado*

Voltei para São Paulo para a prova do dia 21 (eu acho… não lembro exatamente. XD) na FECAP. Um grave problema (ou talvez não seja problema…) que tenho é que minha ficha não cai até um ou dois dias antes da coisa acontecer. Não fico tão ansioso antes disso, o que faz parecer que não to nem ai pra coisa, mas é algo biológico.😄.  Eu ia fazer um vestibular… púltzz, nem lembrava o que era um VESTIBULAR, fiz uns 2 na vida e já entei direto na facul, fora que cairiam questões de matemática e eu nem lembro o que é matemática… blerghhh… Bom, fiz as malas e fui.

No dia em que cheguei não fiz nada demais (eu juro!!!), e no dia seguinte saí cedo e peguei o metrô pra ir até a Liberdade (não, não fui consumir, o campus da FECAP realmente fica lá). Fui seguindo um fluxo de pessoas ou posso chamar de alunos ou posso chamar também de CONCORRENTES ou de outras palavras de baixo calão que é melhor eu não por no blog porque senão perco pontos e o meu Nobel da literatura não sai logo.

Bom  ficamos jogados, abandonados feito gado gordo naquele tempo chuvoso, no pátio do campus, até chamarem a gente pra entrar nas salas pra fazer a maldita prova. Detalhe que na ficha que a gente tinha que assinar pra poder entrar vários nomes estavam com um enorme RETIDO na frente, ou seja, não podiam entrar pra fazer o vestibular. No primeiro segundo me deu um tanto de dó, mas depois pensei “Ahammm!!!! Menos concorrentes!” Bom, assinei aquilo e entrei.

Foram levando a gente pelos corredores da faculdade e o caminho se dividia então em 2: “de A a J à direita, de K a Z desçam a escadaria”. Nisso cada um foi para a sua sala,  a seleção natural ataca novamente… ao entregar as provas, alguns PERCEBERAM que as provas com os nomes deles não estavam ali!! Surpreso. ADIVINHA POR QUÊÊÊÊÊ!!!! Porque o espertíssimos entraram na sala errada. Eles não sabiam que o nome eles, com L, M, N, etc era depois da letra K, que era pra ter descido a escadaria. Ou seja, eles já não iam ser grande problema pra eliminação também.

Começaram a entregar as provas chamando o nome de cada um porque haviam provas diferentes. Uma pessoa começou a entregar as que começavam com a letra F, mas eu não estava lá. Certeza, mas CERTEZA que eu ia ser o último do bloco de provas. E assim foi. A última prova era a do Fernando Garcia (não, não vou escrever meu nome inteiro aqui porque gastam muitos caracteres e eu sou uma pessoa que economiza caracteres, não gosto de ficar gastando caracteres com coisas sem propósito ou que não terão serventia posterior, sabe?).

Ah, também não posso esquecer que quando você chega e entra na sala, tinha várias carteiras com uma garrafinha de água mineral e um docinho em cima (chamava “goiabinha”… nunca tinha visto antes, mas também não sou fã de goiabada). Eles eram distribuídos em carteiras ímpares (na primeira, na terceira, na quinta… deu pra entender ou querem que eu continue o raciocínio?) que era pra sinalizar para os inteligentíssimos cidadãos que era pra eles sentarem naquelas carteiras. Bom, sentei na que eu achei mais bonita e pegue a prova. Quando começou aprova, todo mundo abriu o caderno de questões (disseram pra não abrir antes do início da prova, mas sempre tem uns idiotas que abrem…) e começaram a fazer contas e mais contas, já que a primeira parte era a de matemática. O lápis ia e voltava e eu só pensando “púúúúúúltz… quero só ver…” Aí comecei a ler as questões e não acreditei…

A primeira questão era assim: “Um quinto de uma construção foi concluída em 20 dias. Quantos dias serão necessários para concluir a obra?” K Num primeiro momento u fiquei meio besta… Depois segurei a risada… o pior eram as alternativas!!! “E) Não é possível saber exatamente”. Tinha outra que era assim, acreditem!!! “Um número menos a sua metade é 17. Que número é esse?”. Havia outras de porcentagem e essas coisas, todas igualmente tontas. Só haviam algumas que eram realmente chatinhas de fazer, mas nada impossíveis. Quase mudei a minha primeira opção de curso para Matemática, me senti tão numérico na hora… Em compensação, a parte de português estava de cag#$%&!!! Questões tiradas da ESPM e outras faculdades que daí sim me fizeram lembrar que aquilo era um vestibular… Enfim, nada demais. Depois de ir bem na parte de matemática, que eu odeio, eu me senti o super poderoso e que poderia resolver qualquer questão de química quântica. Essa hiper auto-confiança diminuiu quando entraram as questões de atualidades e geografia, perguntando se o povinho do Hisbolah (é assim que escreve?) era sumita, xiita, etc… Não haviam questões de química, etc, porque era um vestibular para vagas remanescentes de publicidade e outros cursos.

Também teve a redação que apesar de gostar de escrever, fazia muito tempo que e não lia portanto a última coisa que eu sabia de atualidades era o rombo que o metrô da linha amarela tinha feito na rua lá. Isso porque eu tava pegando o metrô e tava naquele jornalzinho que eles entregam… Também sabia das modelos que morreram porque dua mulheres no metrô estavam fofocando sobre isso… o tema, no final, era: “Qual são as dificuldades que os jovens enfrentam para conseguir o primeiro emprego?”. Medo das pessoas que fizeram essa prova… Pensei que era uma prova de verdade.

Terminei a prova um tanto cedo, por isso fiquei enrolando, comendo “goiabinha”, bebendo água e desenhando no caderno de prova… olhando pra cara das pessoas e lembrando do nome delas… um nominho diferentes, sabe? Tinha uma “Florência” lá. Bonitinho esse nome né? Ela tinha trazido bolachinhas… Trakinas de morango.. ti munitinho!! ^-^ Muitas pessoas estranhas também, e japoneses fazendo milhares de contas pra descobrir qual era o número que menos a sua metade dava 17…

Bom, depois da prova, de um almoço na Liberdade, de umas voltas por la, etc e tal, voltei pra casa para um descanso merecido. Três dias depois saiu o resultado da prova na internet. Minha irmã mais velha estava me urubuzando e queria de qualquer jeito ver o resultado pra me encher o saco caso eu tivesse ido mal na prova, ai, entrei na página da FECAP, e estava “resultado do processo seletivo do dia 21” (adoro esse termo!! “Processo Seletivo”… bonito, né? =D). Cliquei. Ai perguntavam meu CPF. Digitei. Ai estava assim:

 

“Sua colocação no processo seletivo 2007 é: 2º”

 

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Genteeeeeeeeeeeeeeeeeeee!!!! Me senti o tallll!!!! Mas disfarcei, claro…

Bom, mesmo assim, faculdade que eu ia me inscrever era outra, então deixei essa na gaveta, caso a transferência para a Anhembi não saísse…

Enfim, depois disso eu empolguei e queria fazer outros vestibulares pra passar pela sesação de euforia e de nervosismo de vestibular… estava com saudades dessas sensações… XDDDDDDDDD

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Minha Vida Antes dos 30 em números

    • 25,917 acessos
%d blogueiros gostam disto: