Dez coisas para não se fazer quando se está conhecendo alguém.

A internet chegou e dominou os lares de todos. Junto com a liberdade do tráfego de informações também veio a liberdade de expressão. Ou seja, se você tinha alguma coisa entalada na garganta e precisava falar isso pra alguém, a internet é o lugar! Se você tinha vergonha de ver o que vendem na sex shop, agora você pode fazer isso sem sair de casa! E se você não tinha coragem de sair paquerando pessoas por aí, agora você pode também, através de bate papo virtual onde você não precisa ficar com vergonha!

Sem tempo e sem ânimo de sair por ai pra conhecer pretendentes e realizar dinâmicas e entrevistas, igual se faz pra conseguir uma vaga de trabalho, resolvi tentar conhecer pessoas virtualmente. A minha lista de pretendentes virtuais não chega aos pés da lista de gafes, anotadas após cada conversa individual. Veja alguns dos itens que mais preocupam, ou queimam mais filme, quando se está conhecendo alguém:

1) Não fique falando do(a) ex! Esse é o primeiro e o pior deles. Não tem coisa pior do que, durante a conversa, a pessoa começar com aquele tal de “ai, estou catando os pedacinhos do meu coração quebrado”, ou então, quando você fala “você curte a banda tal?” e a vítima responde “meu ex adorava…” Dá vontade de dizer “então passa aqui o MSN do teu ex que eu vou conversar com ele, que deve ser mais interessante que conversar com você”. Ex é ex. Se fosse bom, ou se fosse pra dar certo, não seria ex. E encerre o assunto aí.

2) Não seja depressivo. As pessoas se conhecem e querem conhecer outras para uma amizade e um futuro relacionamento, não para acabar tendo vontade de cortar o pulso ou pular de 10º andar. Pessoas normais querem se relacionar para viverem grandes emoções, e não entrar em depressão profunda. Muitas vezes começa com aquele “estou carente” e “terminei faz uma semana”, o incrível é que terminam e já correm atrás de alguém pra substituir… imagine quanto tempo uma pessoa dessa veste preto quando está de luto? 15 minutos? Depois contam toda a história da vida e por incrível que pareça, o mundo conspira contra ela. Se eu quisesse drama eu veria na TV.

3) Não fique usando diminutivos. Não existe coisa mais irritante que isso. Chega uma hora que eles param de ser fofinhos e começam a ficar depreciativos, e isso não demora pra acontecer. Começa com “estou tristinho” ou “tão bonitinho”, e começam pra “dar uma saidinha pra pegar um filminho com uma pipoquinha e dar um beijinho” e por aí vai. Aí você já começa a pensar que a pessoa é bonitinha, legalzinha (o que já não é muito) e você acaba pensando que relacionamento vai ser legalzinho… mas não vai ser aquilo tudo que você espera, já que tudo é “zinho” pra essa pessoa. Todo mundo quer viver uma puta experiência e não qualquer experienciazinha. Então largue a mão da síndrome de inferioridade e use o diminutivo quando ele realmente tiver efeito fofinho.

4) Não assuma uma posição de auto-suficiente demais. Aquelas pessoas que o trabalho não é tão bom quanto elas, que não utiliza 1% de seu enorme potencial, ou que os ex não eram de nada, porque como eles(as) adoram dizer, “eu me valorizo!”, o tesouro é tão, mas tão valorizado que até hoje ta sozinho senão não estaria ali falando com você. Se o cidadão é tão bom assim, ele que saia com ele mesmo, porque só ele vai se ligar no dia seguinte, se mandar flores e continuar repetindo pra si mesmo o quão bom ele, afinal, ele não foge dele mesmo. É o par ideal.

5) Não tenha foto falsa ou extremamente bem tirada. Ter fotos de tudo quanto é tipo é essencial. Algumas pessoas têm aquelas fotos que não se sabe o porquê e nem a ciência sabe explicar, mas que naquele dia, naquela lua cheia, devido ao alinhamento dos planetas e a numerologia obtida somando o número do dia atual com a hora da foto e a quantidade de megapixels da câmera a foto saiu extremamente boa e o cidadão a colocou na internet. O resultado é SEMPRE catastrófico. Enquanto você enxerga um monumento grego, do outro lado da tela está uma criatura de fábula que já voltou a ser abóbora e todo mundo já sabe que pau que nasce torto nunca se endireita. Mostre logo a sua cara como ela é todos os dias e se a pessoa gostar, não tem erro. Se não gostar, paciência. Próximo da fila.

6) Não seja o(a) sofredor (a). Outro assunto que deixa qualquer um puto da vida e dá aquela vontade de excluir e bloquear é conversar com sofredores. Você trabalha, mas o trabalho deles é MAIS DIFÍCIL, você mora com alguém xarope, mas a pessoa com quem eles moram é MAIS XAROPE! Você não se dá bem com familiares porque sua família está passando por uma crise, eles ESTÃO SOFRENDO MAIS E A FAMÍLIA DELES É PIOR! Chega uma hora que cansa, você diz que vai até o forno pegar o bolo que terminou de assar e nunca mais aparece online naquele MSN.

7) Não seja radical demais, principalmente quando for no sentido negativo. Se te perguntarem se você fuma, se você sai, se você curte o filme tal, não venha com “ODEEEEEEEEEIOOOOOOOOOOO!!!”. Não existe coisa mais insuportável que gente que odeia ou ama demais as coisas. Claro, é sempre legal saber de uma ou outra mania ou conhecer algo que você ou ele(a) sejam aficionados, o que não dá são aqueles papos assim:

Entrevistador para a vaga de parceiro amoroso: “você curte balada?”

Candidato à vaga: “ODEIO!”

Entrevistador: “Você foi no show da Madonna?”

Candidato: “Credo! Odeio Madonna!”

Entrevistador: “Você quer sair pra tomar um café?”

Candidato: “ODEIO CAFÉ! DÁ ÚLCERA!”

Entrevistador: “Você quer ir tomar no olho do seu **?”

Ou você achou que a conversa terminaria de outra maneira?

Radicalismos positivos também não ajudam. Amar demais alguma coisa, tipo “ahhhh, eu vou na balada, sou o primeiro a entrar, conheço todo mundo lá dentro, beijo todo mundo e sou o ÚLTIMO a sair!” não soa tão legal quanto parece.

8) Não peça o impossível (ou extremamente difícil). Não exija namoro a distância, não exija memória de elefante para todas as datas e gostos, nem exija que parem de fumar ou que se mudem porque você quer. Existem serem humanos que moram longe que pedem e imploram pra você ir na casa deles AGORA, ou pra sair pra um lugar longe, ou qualquer outra coisa que só se pede para quem você já está namorando faz tempo e olhe lá. Exagere no pedido e o outro já vai pedir a conta pra ir embora.

9) Não seja adiantadinho(a). Não queira casar amanhã ou já namorar sério no segundo dia. Pessoas que comemoram “aniversário” quando o namoro completa uma semana ou um mês têm sérios problemas psicológicos e lingüísticos, porque “aniversário” vem da palavra “ano” e não “mês”. Não se coloca a carroça na frente dos bois. É claro que gente lerda também irrita, tipo dois meses depois você ainda não conseguir marcar algo pra sair é complicado, mas deixe as coisas acontecerem e não cobre nada. Tudo tem hora certa e você precisa aprender a perceber isso.

10) Seja quem você realmente é, mas tenha noção de limite. Dois grandes problemas nesse tópico são pessoas que querem ser algo que elas não são, como dizer que fizeram viagens que não fizeram, que são tão importantes quanto não são, entre outras pérolas. Tem casos em que juram que são tão importantes quanto um membro da Academia Brasileira de Letras e quando você vai ver, ainda está tentando se formar no supletivo há uns quatro anos. Já a questão do limite é que as pessoas adoram dizer o quanto elas já passaram, suas experiências, e que com isso elas aprenderam a ser mais: chatas, intolerantes, egoístas, insensíveis, nada versáteis. Não contentes, elas ainda querem que VOCÊ se adapte a elas e não o contrário, porque elas aprenderam que não devem fazer a vontade dos outros porque eles sempre se dão mal. É, piazinhos, assim a coisa fica complicada.

Relacionamento geralmente deve ser algo em que os dois combinam em alguns aspectos e se diferenciam em outros. Enquanto as pessoas não ficarem mais tolerantes e com mais senso do que falam, a coisa não vai pra frente. Eu realmente espero e rezo para que as pessoas aprendam a utilizar a internet de uma maneira mais construtiva, como ler sobre gramática e escrever menos asneira ou no mínimo acompanhar algum noticiário que não seja fofoca de artista, para que assim eu possa finalizar a minha lista de gafes virtuais e ter uma conversa normal. A net ajuda muita coisa na vida dos usuários, eles só precisam aprender que ela é uma ferramenta e não a base de toda a sua vida. Se for pra ficar com uma pessoa dessas, eu namoro com o meu PC que eu fico na vantagem, pois ele é como eu quero, fica onde eu quero,dorme do meu lado todas as noites e o mais importante, É MEU!

Comments
5 Responses to “Dez coisas para não se fazer quando se está conhecendo alguém.”
  1. Mario F. disse:

    J\’ai rien compris et je suis tout à fait d\’accord avec toi!!! xddd

  2. Mario F. disse:

    J\’ai lu avec Babel Fish … bonnes observations de la nature et de la fragilité humaines. Vous avez du talent dans l\’écriture et la psychologie… À quand le baccalauréat en psychologie ou en psychiatrie… Je vous le souhaite! Coquin mais heureux. Que Dieu vous bless … xddd

  3. David disse:

    é, nem todo mundo pensa que para entrar numa relação é preciso estar bem consigo mesmo e com assuntos passados bem resolvidos. E realmente, quando se está com alguém, queremos ter bons momentos ao seu lado. Namorado(a), depois de certo tempo de intimidade, pode até servir para compartilhar certos problemas, mas nunca será psicólogo (a). hehe

  4. Vera disse:

    Há…..ótimas dicas Fer….Já passei por quase tudo isso!!!!Realmente a gente tem que se amar primeiro, pra depois querer amar outra pessoa.Pior mesmo é o lance da foto…a pessoa te manda uma foto, pose de modelo, qdo tu vai ver…Jesuis…Apaga a luz!!!Bju

  5. Ana Lúcia disse:

    Feeeerrrr.. vc escreveu pensando em mim, não foi? Ain… acho que eu faço os nove que não podem, né? Se inspirou na sua irmã ultra super blaster master ruim de cantada.. rsrsrssr =*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Minha Vida Antes dos 30 em números

    • 14,130 acessos
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: